Veio um moço boiadeiro ai ai, daquele sertão goiano.
Em seu jipe empoeirado, em Goiania foi entrando.
No bazar do Waldomiro garboso foi apeando.
Comprou dez disco de viola e ali ficou escutando.

Nisso passa uma mocinha ai ai, mais faceira não havia.
Bem vestidinha na moda, seu perfume recendia.
Quebrando o chapéu na testa o peão do bazar saía.
Pra saber em que jardim aquela rosa florecia

Chegando perto da moça ai ai, nervoso e com a voz tremida.
Ele disse apaixonado, olhe goiana querida.
Tu é a mais linda flor que eu já vi na minha vida.
Levarei no pensamento a sua imagem refletida.

Veja a resposta da moça ai ai, não sou filha desse estado.
Nem tão pouco dei confiança, pra você seu pé rapado.
Para mim você não passa de um caipira atrasado.
O peão perdeu os estribos mais não deu por derrotado.

Senhorita me desculpe ai ai, de fato eu nunca estudei.
Lidando com burro chucro, minha fortuna eu ganhei
Pegando boi pelo chife na poeira eu já rolei.
Mais um coice igual a esse é o primeiro que eu levei.

Vídeo incorreto?