Noite azul, céu sereno
Num barco pequeno,
Vou deslizando no mar
E a brancura da lua,
Nas águas flutua,
Numa beleza sem par.

De longe parece ouvir-se uma prece,
No vento, nas ondas, na espuma quem em véu
Emoldura o caminho que passa o barquinho,
Seguindo as estrelas que o guiam do céu

Mas em dado momento, transforma-se o vento
Cessa da lua o clarão
E o mar tão bravio é um desafio
Ao barco sem direção

Com voz de lamento, do meu pensamento
Orei ao meu mestre, com fé sem igual
E voltou a bonança, vitória se alcança
Olhando pra Cristo, o eterno fanal

Vídeo incorreto?