Meu pai, eu canto porque aprendi contigo
Meu parceiro, meu amigo, o valor da tradição
Muito me orgulha, filho, te ver de bombacha
E nesta vida buenacha ver que aprendeste a lição

É um presente poder viver ao teu lado
Carregando este legado onde a estrada nos levar
As vezes vejo algo de mim no teu jeito
E sinto dentro do peito a emoção do teu cantar

E nossas vozes comungando esta cantiga
Soam amigas pra andar no mesmo trilho
Como se fossem a razão da descendência
Na nossa essência um cato de pai pra filho

E se algum dia o destino preferir
Que um de nós deva seguir pra que o outro vá embora
Há de ficar uma saudade resmungona
Num dueto com a cordeona, assim, feito par de esporas

E cada vez que um de nós cantar sozinho
Todos vão ouvir baixinho uma voz que longe vai
Lembrando o tempo em que os dois eram unidos
Pelos fandangos vividos, filho cantando com pai

E nossas vozes comungando esta cantiga.......

Vídeo incorreto?